SindHOTÉIS-RJ realiza aproximação com Secretaria de Assistência Social

O Sindicato Patronal dos Meios de Hospedagens do Rio de Janeiro – SindHOTÉIS-RJ possui parcerias com diversas instituições que trabalham com acolhimento e assistência a pessoas em situação de pobreza e vulnerabilidade, como abrigos de crianças e população de rua, além de asilos.
Para trabalhar em sintonia com o poder público, o sindicato realizou uma aproximação com a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos. Nas linhas abaixo, trazemos um bate papo realizado com o secretário Pedro Fernandes, cirurgião dentista por formação, com extenso currículo acadêmico, incluindo pós-graduação em Políticas Públicas pelo Iuperj e Doutorando em Gestão pela FGV / Rennes (França).
Pedro Fernandes já ocupou os cargos de secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Social, foi por duas vezes secretário estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, secretário de Meio Ambiente do município e subprefeito da Zona Norte. Aos 34 anos, antes de ocupar a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos, exercia seu terceiro mandato como deputado na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.
ABIH-RJ: Quais são seus principais planos e metas à frente da secretaria?
Pedro Fernandes: Minha primeira meta na secretaria foi colocar a casa em ordem. Restabelecer os serviços, colocar os abrigos em condições dignas e os salários dos funcionários terceirizados em dia. Sem isso, nada poderia realizar. Em menos de um mês já estamos conseguindo cumprir quase todas as nossas metas. Foi um verdadeiro choque de gestão na secretaria.
ABIH-RJ: E o que considera o principal desafio deste trabalho?
Pedro Fernandes: O maior desafio é fazer com que as pessoas em situação de rua tenham vontade de ir para os abrigos da secretaria para ali reconstruírem suas trajetórias de vida. Cada vida que conseguimos resgatar é uma vitória enorme. Não menos importante é aumentar o percentual ainda muito pequeno de dependentes químicos que conseguem se livrar do vício e viver dignamente, produzindo e constituindo uma família. Os idosos e mulheres, outros alvos principais dos nossos programas também receberão a atenção devida.
ABIH-RJ: A questão da pobreza, moradores de rua e viciados em drogas tem uma relação próxima com a insegurança. Como acredita que pode contribui para uma mudança neste cenário?
Pedro Fernandes: Temos que dividir bem essas situações. Uma coisa é a pessoa em situação de rua, que chegou a esse desamparo extremo por vício, problemas psicológicos, dificuldade financeira ou conflitos familiares. Esse é o nosso público-alvo. Desenvolvemos operações de acolhimento, tentando convencê-los a aderirem aos nossos abrigos e ali começarem uma nova vida. Quanto aos que ficam na rua para cometer delitos, roubar ou agredir, esses são casos de polícia. Devem ser detidos e responderem por suas infrações perante a justiça.
ABIH-RJ: Como o senhor vê essa mobilização da iniciativa privada para incentivar doações?
Pedro Fernandes: Essa ajuda é essencial para nós e muitíssimo bem-vinda. Acreditamos na parceria e na união de esforços para superar a grave crise financeira e estrutural que o nosso estado enfrenta e que acaba atingindo também a nossa Prefeitura. São verdadeiras lições de solidariedade e amor ao próximo e uma verdadeira tábua de salvação para aqueles para os quais a sociedade não costuma olhar.
Em tempo: 
O SindHOTÉIS-RJ está mobilizando os meios de hospedagens a direcionarem suas doações para as instituições assistidas pela Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos. Roupas de cama e banho, colchões, móveis, entre outros, podem ser doados. Para participar, basta informar ao SindHOTÉIS-RJ, que fará a interface com a instituição recebedora, que providenciará o transporte.  Mais informações através do e-mail- superintendencia@abihrj.com.br
Fonte: ABIH-RJ
Fotos: SindHOTÉIS-RJ