Setor de hospedagem faz boicote à Decolar

Hotéis e albergues reagem contra as altas taxas de comissionamento

Os meios de hospedagem do Rio fecharam seus canais de vendas com a Decolar, desde o dia 06 de julho, em função da determinação da OTA de aumentar as já elevadas margens de comissionamento, que chegam a ultrapassar 20%.

 Após receber uma série de queixas dos hotéis associados, uma carta foi encaminhada pela ABIH-RJ questionando o aumento impositivo, que visa majorar as margens de lucro de forma unilateral e sem consentimento dos parceiros.
A mesma posição foi tomada pela ABIH Nacional, representando as demais entidades regionais. Como não houve negociação, os meios de hospedagem do Rio de Janeiro uniram-se nesse protesto. A iniciativa, que ainda não tem data para término, tem a adesão da Associação de Cama & Café e Albergues, o que só reforça a união do segmento de acomodações no Rio de Janeiro.
“O momento é mais do que impróprio para o setor, que batalha para manter os índices de ocupação num cenário pós-Olímpico de crise econômica. Lamentamos que a Decolar, já ciente desta posição, continue a insistir de forma agressiva para que os hotéis assinem o termo de concordância do reajuste. É importante ficar claro o papel ​de cada um nesta relação, que deveria ser parceira. O ​cliente, ​quando efetua uma reserva, ​ busca facilidade ao navegar pelas OTAs, mas o compromisso com o produto, a estrutura e os serviços prestados é assumido pelo hotel, a custos altíssimos. Não podemos ficar reféns de taxas elevadas que inviabilizam esta relação comercial”, esclarece o presidente da ABIH-RJ, Alfredo Lopes.
Fonte: ABIH-RJ