Riotur fechou metade dos postos de atendimento no Rio

Desde segunda-feira (15) somente sete dos 14 quiosques que fazem atendimento aos turistas no Rio de Janeiro, da Riotur, estão abertos. A denúncia é do jornal O Globo. Aqueles que estão em funcionamento, seguem em condições precárias e com horário de atendimento reduzido.

A falha foi causada pelo fim do contrato com a empresa que prestava o serviço, Maza. Na sexta-feira (12), 63 recepcionistas bilíngues foram demitidos. Os quiosques que ainda funcionam têm atendimento realizado por estagiários.

No aeroporto Santos Dumont, o atendimento, que era das 6h às 22h, agora só ocorre das 11h às 19h, enquanto no Rio Galeão ele é encerrado três horas mais cedo. Segundo O Globo, além dos pontos nos aeroportos, há um na rodoviária da cidade, dois na Praia de Copacabana, um no Largo do Machado e outro no Shopping da Gávea.

O prefeito da cidade, Marcelo Crivella, disse que em um mês o atendimento será totalmente retomado. “Acabou o contrato e nós já estamos licitando um novo. Isso não é bom para o Rio de Janeiro, nossa grande vocação é o turismo, vamos investir muito no turismo”.

Crivella disse ainda que será realizado um grande evento por mês na cidade. “Serão gastos de R$ 100 a R$ 200 milhões ao longo do ano, turismo é pauta número um da prefeitura em termos de desenvolvimento econômico”.

Enquanto o atendimento não é normalizado, a reportagem do jornal carioca constatou que sobra trabalho para vizinhos e comerciantes que ficam nas proximidades dos quiosques fechados e precisam ajudar a resolver as dúvidas dos turistas.

 

Fonte: Panrotas