Hotelaria defende regulamentação do Airbnb

A  ABIH-RJ acompanha a evolução do Airbnb, tema que vem afetando diretamente o turismo e o mercado de locação de imóveis do Rio de Janeiro, e defende a regulamentação desse serviço, que atualmente representa uma ameaça para vários segmentos econômicos, assim como para a sociedade civil.
O serviço começou como um site no qual pessoas ofereciam, on line, quartos em suas casas, ganhou força como um dos patrocinadores do mundial esportivo e hoje conquistou uma grande inserção comercial no mercado de locação.
Num cenário geral de mercado, a ABIH-RJ esclarece que essa atividade representa uma concorrência desleal com a hotelaria, que mantém altos investimentos em ativos imobilizados, paga impostos altíssimos e gera empregos.
A opção também afeta o mercado de aluguel de imóveis, já que eleva as taxas de aluguel e despeja inquilinos para que o imóvel seja destinado a locações de curta temporada.
Do ponto de vista da sociedade civil a atividade oferece riscos aos moradores de condomínios que não sabem quem vai ocupar o imóvel vizinho, já que essas locações são informais, sem a identificação legal dos usuários. E, ainda, facilita calotes nos turistas, que não contam com garantias ao se hospedar em um ambiente não regulamentado e sem fiscalizações que garantam a sua segurança.
Recentemente, o governo da cidade de New York, um dos principais destinos turísticos do mundo, declarou posição contrária ao Airbnb e sancionou uma lei proibindo e multando anúncios de imóveis residenciais para curta estadia. No Brasil, o novo ministro do Turismo, Marx Beltrão, também já declarou a regulamentação da atividade como uma das prioridades de sua gestão.
Esperançosos com este movimento internacional, os empresários da hotelaria aguardam que o assunto seja tratado com atenção pelos órgãos governamentais, e já encaminhou uma carta à Câmara dos Vereadores sensibilizando sobre o tema.
“Esperamos que o Brasil possa seguir o exemplo das melhores práticas utilizadas nos principais destinos turísticos do mundo e coloque este tema rapidamente em pauta para providências urgentes por parte de nosso Legislativo”, reivindica o presidente Alfredo Lopes.
Fonte: ABIH-RJ