SindHotéis – Rio Solidário

O Sindicato Patronal dos Meios de Hospedagens da Cidade do Rio de Janeiro – SINDHOTÉIS-RIO, lança campanha SINDHOTÉIS-RIO SOLIDÁRIO, em parceria com diversas instituições que trabalham com ações sociais.

Para mais informações, clique no flyer abaixo:

 

INFORME ASSOCIADOS – SALARIÔMETRO – BOLETIM DE JULHO

Boletim: Julho

Destaque: Salariômetro

Acompanhe o informe dos associados SindHotéis – Rio.

Alfredo Lopes apresenta o SindHotéis-RJ em entrevista

O trabalho do SindHotéis-RJ segue a pleno vapor. Com o objetivo de dar visibilidade às ações da entidade aos colaboradores e empresários da hotelaria, além de todo o trade turístico, estreamos hoje a Newsletter do SindHotéis-RJ. Para dar boas-vindas aos leitores e começar com o pé direito esta nova ferramenta de comunicação, trazemos abaixo uma entrevista com o presidente Alfredo Lopes.

NEWSLETTER: Por que o setor sentiu necessidade de criar um sindicato próprio?

ALFREDO LOPES: Por mais de 50 anos, a mão de obra hoteleira esteve representada ecleticamente junto aos Bares, Restaurantes e Similares em Geral, o que foi de grande valia por todo este tempo. Embora esta parceria duradoura tenha nosso reconhecimento, as transformações apresentadas pelo setor demandam mudanças. Muitos interesses, antes convergentes, se apresentam hoje de forma diferenciada. Por todas as particularidades, desde reivindicações salariais, até singularidades da formação de mão de obra, identificamos que chegou o momento de caminharmos individualmente em busca da melhor representatividade para cada um dos segmentos empresariais.

NEWSLETTER: Quais são os benefícios da criação do SindHotéis-RJ para a hotelaria?

ALFREDO LOPES: A partir da criação do SindHotéis-RJ, as operações hoteleiras passam a ter uma entidade pensando exclusivamente na realidade de seus negócios, com suas singularidades e demandas. Um sindicato exclusivo tem maior poder de defesa e aglutinação do setor. A formação e a qualificação da mão de obra serão mais facilmente viabilizadas através de uma entidade sindical que possa contar com recursos oficiais específicos. Além disso, as convenções coletivas para discussão salariais com o nosso quadro de funcionários serão facilitadas, lideradas por quem entende dos problemas da categoria de hotéis e meios de hospedagens, com representação oficial para discutir os assuntos pertinentes.

NEWSLETTER: Quando o novo sindicato entrou em operação?

ALFREDO LOPES: A data oficial de fundação é 29/11/2010, quando teve início o processo de criação e regulamentação do novo sindicato. A aprovação no Tribunal Regional do Trabalho da 1ª região, TRT/RJ, veio em julho de 2013. Desde então, correm os trâmites internos e judiciais para o início da operação sindical. A partir deste momento, a hotelaria passou ter uma representação sindical focada nos interesses da classe. Nossa vitória mais recente deu-se no dia 11 de fevereiro de 2015, em Brasília, junto ao TST. Após defesa do Dr. Marcelo Salles, assessor jurídico do SindHotéis-RJ, o Tribunal Superior do Trabalho – TST votou por unanimidade a legalidade da criação do SindHotéis-RJ, que estava sendo contestada pelo SindRio.

NEWSLETTER: Quais são as principais atribuições da entidade?

ALFREDO LOPES: Entre outras ações, as funções prioritárias do sindicato são a de fomentar a capacitação da mão de obra, lutar pelos interesses da classe patronal e buscar condições de negociação junto à representação laboral.

NEWSLETTER: Desde a sua criação, alguma conquista já foi alcançada?

ALFREDO LOPES: No ano de 2014 realizamos nossa primeira grande conquista. Após uma série de reuniões com a vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores, Dra. Conceição Cassiano, no início de outubro foram definidos os índices para a assinatura dos acordos individuais das convenções 2012/2013 e 2013/2014, que encontravam-se em aberto. Um grupo de trabalho e uma comissão negociadora foram criados para a intermediação de acordos individuais com o Sindicato dos Trabalhadores da Categoria. Dois subgrupos estiveram voltados para as especificidades dos hotéis que atuam com taxa de serviço e sem taxa, tendo em vista as realidades e impactos diferenciados. A Dra. Conceição foi bastante receptiva à hotelaria e sua colaboração foi fundamental para o fechamento dos acordos. A realização de acordos individuais foi uma resposta do Sindhotéis-RJ à demanda urgente que vinha sendo enfrentada pela hotelaria carioca. O relacionamento com o Sindicato Laboral foi reestabelecido de forma amigável, otimizando o diálogo entre os sindicatos e as empresas hoteleiras do município.

NEWSLETTER: O que a hotelaria pode esperar do Sindicato para o ano de 2015? Quais as principais metas?

ALFREDO LOPES: O principal desafio a ser enfrentado é a formação e qualificação de mão de obra para preencher as milhares de vagas que estão surgindo no setor turístico. Precisamos elevar a qualidade dos nossos serviços ao nível das novas instalações e da crescente demanda pelo receptivo carioca. Também está entre as metas a negociação do Acordo Individual do período 2014/2015.

NEWSLETTER: Como o senhor avalia o cenário atual da hotelaria?

ALFREDO LOPES: O Rio de Janeiro é o principal portão de entrada do Turismo no Brasil e concentra o segundo maior número de leitos no país. Motivado especialmente pelo calendário de eventos esportivos, e, influenciado pelo grande incremento da demanda, nosso parque hoteleiro está em franca expansão e modernização. Isso representa um boom na oferta de empregos do setor, e, acima de tudo, um grande desafio de formação e treinamento de mão de obra especializada. Os trabalhadores da rede hoteleira são os anfitriões do receptivo e o turismo é hoje um dos principais, se não o principal protagonista do desenvolvimento econômico da cidade e do país.